Meu Carrinho

Arquiteturas de São paulo

Arquiteturas de São paulo
Código: 5006

Personalize os Produtos Abaixo

Quadro
Quadro
a partir de
R$ 77,80 ou
2x R$ 38,90
Personalizar
Tela Canvas
Tela Canvas
a partir de
R$ 137,80 ou
4x R$ 34,45
Personalizar
Múltiplo
Quadro
a partir de
R$ 315,20 ou
10x R$ 31,52
Personalizar
Impressão
Impressão
a partir de
R$ 14,60
Personalizar

Sobre

Edifício Altino Arantes (também conhecido como Edifício Banespa ou Banespão) é um dos prédios mais emblemáticos da capital paulista, sendo o terceiro arranha-céu mais alto da cidade e o sétimo mais alto do Brasil.

Construído a partir de 1939, pelo interventor federal Ademar Pereira de Barros para sediar o Banco do Estado de São Paulo (Banespa), e inaugurado em 1947 também por Ademar de Barros quando este era governador de São Paulo, foi durante mais de uma década o mais alto da cidade, até ser superado pelo Mirante do Vale, em 1960.

Seu projeto inicial foi alterado para fazê-lo à semelhança do Empire State Building, em Nova Iorque, Estados Unidos. Logo após a inauguração, na década de 1940, chegou a ser considerado a maior estrutura em concreto armado do mundo.

Do alto do mirante do edifício é possível ter um raio de visão de 360º e que atinge cerca 40 de quilômetros, de onde é possível ver a Serra do Mar, o Pico do Jaraguá, os prédios da Avenida Paulista e as principais construções do Centro.

Edifício Martinelli é um prédio localizado no Centro do município de São Paulo, Brasil. Situa-se no triângulo formado pela rua São Bento, avenida São João e rua Líbero Badaró, no centro da capital paulista. Foi o segundo arranha-céu do Brasil e da América Latina, tendo sido ultrapassado pelo Edifício Joseph Gire, ou Edifício A Noite, no Rio de Janeiro, que apesar de ter iniciado sua construção apenas em 1927, foi inaugurado apenas dois anos depois, em 1929.

A construção do edifício começou em 1922 e foi inaugurado às pressas, ainda incompleto, em 1929, com apenas 12 andares, devido a inauguração do Edifício A Noite. A construção do edifício seguiu até 1934. O trabalho terminou quando o edifício tinha 30 andares (130 metros). O edifício foi idealizado pelo italiano Giuseppe Martinelli e projetado pelo arquiteto húngaro Vilmos (William) Fillinger. Com 105 metros de altura, foi entre 1934 e 1947 o maior arranha-céu do país e, durante um tempo, o mais alto da América Latina.

O edifício foi completamente remodelado pelo prefeito Olavo Setúbal em 1975 e reformado novamente em 1979. Atualmente, o prédio abriga órgãos municipais, como a Empresa Municipal de Urbanização de São Paulo (EMURB) e a Companhia Metropolitana de Habitação de São Paulo (COHAB-SP), além de várias lojas no piso térreo.

Comentários